Nutricosméticos e seus Princípios Ativos

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A crescente busca pela aparência perfeita e saúde equilibrada, faz do mercado estético e cosmético um excelente aliado.

A cada dia surgem novas expectativas de tratamentos e lançamentos de produtos, a fim de auxiliar e retardar o envelhecimento cutâneo, garantindo assim, uma aparência mais saudável e jovem.

O tema Nutricosméticos foi escolhido para ser relatado no blog do Ibeco, por ser um assunto bastante recente no mercado estético e cosmético, além do que, a maioria dos leitores e adeptos à beleza e saúde tem muitas dúvidas quanto a sua utilização e conceito.

A professora Vivian Maria Souza de Carvalho Ribeiro, farmacêutica industrial especialista em cosmetologia aplicada à estética e docente da disciplina de Nutricosméticos dos cursos de pós-graduação do Ibeco, explica um pouco sob esse novo conceito de produtos e também aponta alguns princípios ativos que estão em alta no mercado, quando o assunto refere-se ao retardamento do envelhecimento cutâneo, dos cabelos e das unhas.

Primeiramente é importante entender o que são os Nutricosméticos. São formulações farmacêuticas de uso oral, cujo objetivo é retardar, prevenir ou mesmo melhorar as principais causas relacionadas à saúde estética, como por exemplo, envelhecimento precoce, queda capilar, enfraquecimento das unhas, celulite, redução de edema, hipercromias, redução dos radicais livres, foto-protetores de uso oral, entre outros, além de auxiliar na imunidade celular, pode também ser usado no suporte de algumas patologias, quando acompanhadas por profissionais habilitados como médicos e nutricionistas; sempre pautados em diagnósticos precisos e exames clínicos.

Os Nutricosméticos são os resultados da convergência entre as indústrias de cosméticos e alimentos e, por essa razão, também podem ser apresentados na forma de cápsulas, sucos, balas de goma, chocolates, shakes, sopas, sorvetes e tabletes efervescentes. Liberam topicamente vitaminas, aminoácidos, proteínas e ativos botânicos para oferecer benefícios antioxidantes e/ou estéticos, abordando assim o conceito IN/OUT que quer dizer: “A Saúde por Dentro e a Beleza por Fora”.

Segundo a Legislação Nº 8.234, de 17 de setembro de 1991, artigo número 4, item 7, prescrição de suplementos nutricionais, são necessários para complementação da dieta. Desta forma, os Nutricosméticos são registrados segundo a ANVISA portaria Nº 32, como suplementos. Classificam-se como vitaminas isoladas ou associadas entre si, minerais isolados ou associados entre si, ou produtos de fontes naturais, nos quais estão legalmente regulamentados no Padrão de identidade e qualidade (PIQ).

Vários princípios ativos estão em alta no mercado cosmético com aplicação Nutricosmética, proporcionando assim, excelente estratégia quando associado no mesmo protocolo estético o Cosmecêutico e o Nutricosmético, com objetivo de efeito sinérgico.

 

SÃO ELES:

Astaxantina: Carotenoide, pertencente à classe das xantofilas, tem despertado grande Interesse devido à sua capacidade antioxidante e possível papel na redução de risco de algumas doenças como as cardiovasculares, degeneração macular e Câncer. Seu papel associado à beleza estética está associado a função antioxidante relacionados à peroxidação lipídica, diminuindo assim oxidação celular. Sua ação é cerca de 1000 vezes maior que a Vitamina E, quando comparada ao fator antioxidativo celular.

A astaxantina pode ser encontrada naturalmente em microalgas como Haematococcus pluvialis e na levedura Phaffia rhodozvma; como também tem sido considerado principais carotenoides em salmão e crustáceos.  Pesquisadores da Universidade de Cambridge estão desenvolvendo um chocolate à base de astaxantina que, segundo eles, vai retardar o aparecimento de rugas e flacidez na pele. Com apenas 7,5 gramas por dia, o ‘Esthechoc’, como será chamado o produto, vai deixar uma pessoa de 50 anos com pele de alguém de 30. Palavra dos cientistas responsáveis, divulgado no jornal O GLOBO, em 19/02/2015.

Cacti-Nea: É o pó solúvel do fruto de um cacto, que contribui para a eliminação do excesso de fluídos, permitindo o controle do ganho de peso. Além da propriedade diurética a Cacti-Nea preserva as células do organismo contra danos oxidativos e aumenta a concentração de potentes antioxidantes no plasma, como as vitaminas C e E. Existem estudos que comprovam ainda a redução da circunferência do quadril e, por reduzir o estoque de gordura no corpo, Cacti-Nea ajuda a afinar a silhueta. Após uma série de estudos científicos, chegou-se a conclusão de que a dose diária recomendada de Cacti-Nea é de até 2g. A administração deste Nutricosmético pode ser antes ou após as refeições, mas recomenda-se tomá-lo no café da manhã, devido aos efeitos diuréticos.

Cranberry: O extrato de cranberry é obtido dos frutos de Vaccinium macrocarpon (Ericaceae) e contém antocianidinas, proantocianidinas, flavonóides, taninos e ácidos fenólicos. Tradicionalmente, o cranberry tem sido utilizado para o tratamento e profilaxia de infecções do trato urinário e ensaios clínicos recentes demonstraram evidências de utilidade do cranberry na profilaxia de infecções urinárias. Sua ação antioxidante deve-se aos componentes fenólicos, úteis para prevenção do dano oxidativo causado por radicais livres. Cranberry é uma forma segura e bem tolerada de suplemento fitoterápico, com poucos efeitos colaterais gastrointestinais, relacionados ao uso de altas doses ou tratamentos prolongados. Dosagem de 400 à 800 mg ao dia.

Glucosamin: É uma substância endógena, sendo um constituinte das cadeias polissacáridas da matriz da cartilagem e dos glucosaminoglicanos do líquido sinovial. Estudos in vivo e in vitro mostraram que a glucosamina estimula a síntese fisiológica de glucosaminoglicanos e proteoglicanos pelos condrócitos e do ácido hialurônico pelos sinoviócitos. A glucosamina varre radicais livres, além da ação antiinflamatória. Estudos demonstram que a ingestão oral de glucosamina sulfato mais antioxidantes e minerais (zinco, magnésio) reduzem em 22% os micros relevos na pele em 12 semanas de tratamento. Dose Usual: 500 a 1500mg/dia (dependendo da indicação).

Isoflavona: Um estudo duplo-cego e placebo controlado conduzido por Izumi et al. (2007) avaliou os efeitos cutâneos da suplementação em 26 mulheres com idade acima de 30 anos utilizando isoflavonas da soja porção aglicona, administrando 40 mg ao dia. Durante doze semanas, uma parte das mulheres recebeu placebo e a outra parte recebeu as isoflavonas. Após esse período, verificou-se que o grupo teste apresentou melhora estatisticamente significativa de linhas finas e da elasticidade cutânea, comparado ao grupo controle, mostrando que a suplementação de isoflavonas melhora aspectos da pele em mulheres de meia idade.

Ômega 6 (Borage e Prímula): Por ser poliinsaturados, como o ácido gama-linolênico (GLA), que é um ácido graxo essencial, não produzido em nosso organismo, e que é rapidamente convertido em prostaglandina. A ingestão do óleo de borage resulta em ação antiinflamatória e imunossupressora. Contendo também mucilagem e taninos, o óleo de borage é indicado para tensão pré-menstrual, problemas reumáticos, eczemas, inflamações de pele (estimula a síntese de ceramidas), prevenção da arteriosclerose e cirrose hepática. O óleo de prímula e borage são bem indicados para pacientes atópicos, com pele extrasseca e desidratação precoce.  Dose usual: 500mg 2 x ao dia.

Pycogenol (Pinus Pinaster): É um extrato natural da casca do Pinheiro Marítimo rico em bioflavonóides (proantocianidinas, catecol e taxifolina), sendo um potente antioxidante. Pesquisadores descobriram que o Extrato de Pinus pinaster é de grande valor para a saúde das artérias e da pele, sendo 50 vezes mais potente que a vitamina E, e 20 vezes mais potente que a vitamina C na ação antiradicais livres. O Extrato de Pinus pinaster é uma substância que atrasa o envelhecimento físico e psíquico do ser humano. A ingestão diária de Extrato de Pinus pinaster auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares (Zibadi, 2007; Nishioka, 2007; Cesarone, 2006), e complementa a vitamina C (Sivonová, 2006), pois reforça o efeito da mesma sobre as membranas celulares e na produção do colágeno. Como resultado, o funcionamento do sistema circulatório e do sistema imune é melhorado, podendo aumentar a resistência física em até 21%. Em adição, o envelhecimento celular é retardado.

Estudos Clínicos: A fim de avaliar os efeitos da suplementação do pycnogenol no melasma, Ni, Mu e Gulati (2002) conduziram um estudo que teve a participação de 30 pacientes com pigmentação cutânea característica dessa condição, e que receberam, durante 30 dias, cápsulas de pycnogenol 25 mg, três vezes ao dia. Os parâmetros avaliados foram a área do melasma, determinada planimetricamente (medindo o diâmetro do melasma com uma régua), e a intensidade do melasma, medida colorimetricamente (utilizando uma cartela de cores padrão). Após os 30 dias, a intensidade pigmentária reduziu significativamente. O mesmo ocorreu com a área do melasma. Além disso, a suplementação de pycnogenol proporcionou alívio de fadiga, dor, constipação e sentimentos de impaciência naquelas pacientes que apresentavam esses sintomas (NI; MU; GULATI, 2002). Dose usual: 75 à 150 mg/dia.

Polypodium leucotomos: É o extrato de uma planta da família das samambaias que cresce na América Central e com propriedades antioxidantes muito potentes. Quando administrado por via oral, protege a pele do dano causado pela exposição UV. Além disso, reduz o eritema, reduz os radicais livres, o número de células queimadas pelo sol, células epidérmicas proliferativas e a fototoxidade produzida pela radiação UVA e UVB emitida pelo sol. Além disso, o Polypodium leucotomos ainda protege a pele contra manchas escuras e contribui para a prevenção de rugas e da aspereza cutânea, pois inibe a liberação da enzima metaloproteinase, responsável pela quebra de fibras de colágeno e elastina – causa do fotoenvelhecimento, e assim, preserva o sistema cutâneo. Dose usual: 100 a 200mg/dia.

Outra opção também existente no mercado são os Nutricosméticos industriais. As grandes marcas de Nutricosméticos são europeias. Uma delas é a Imedeen®, fabricada pela empresa dinamarquesa Ferrosan A/S, desde 1991, e a outra é a Innéov®, resultado de um casamento comercial, em 2004, entre os gigantes da cosmética, L’Oréal, e da alimentação, Nestlé. A criação dos Laboratoires Innéov® por essas duas marcas mundiais, mostra o quanto o mercado futuro é promissor. Existem várias outras empresas atuando neste mercado sendo que, as francesas estão se destacando mais, provavelmente pela tradição cosmética; conforme citado na revista Cosméticos e Perfume, edição nº 43.

Mas vale salientar, que todos esses ativos disponíveis no mercado de Nutricosméticos sejam eles industriais ou magistrais, devem ser indicados por profissionais devidamente habilitados e com conhecimento baseados na farmacologia, nutrição e estética. Somente assim, terão a certeza de que os mesmos não serão ingeridos em dosagens ineficazes ou superiores às recomendadas para cada caso e protocolo.

 

Profª Vivian Souza Carvalho Farmacêutica industrial. Especialista em cosmetologia aplicada à estética. Docente da disciplina de Nutricosméticos dos cursos de pós-graduação do Ibeco.

Profª Vivian Souza Carvalho
Farmacêutica industrial. Especialista em cosmetologia aplicada à estética. Docente da disciplina de Nutricosméticos dos cursos de pós-graduação do Ibeco.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×