3 importantes dicas para quem quer trabalhar com pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos

pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos

Você tem a sensação que o brasileiro consome muitos produtos cosméticos? Você acha que higiene pessoal, perfumaria e cosméticos pode ser uma área de atuação interessante no mercado de trabalho? E se estreitar esse campo, trabalhar com pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos, o mercado absorve?

Essas perguntas são feitas por quem pretende trabalhar com pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos. A seguir, vamos auxiliar no entendimento com algumas dicas importantes.

1. Possibilidade de trabalhar em um dos mercados mais promissores nos próximos anos

Para ter uma ideia da dimensão e importância dos produtos cosméticos, de acordo com o IBGE, o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPPC) corresponde a quase 2% do PIB brasileiro. Além disso, o país responde por cerca de 9% do consumo mundial.

De acordo com a Euromonitor International, em uma pesquisa de avaliação do mercado mundial, o Brasil é o quarto maior mercado consumidor do setor, ficando atrás dos Estados Unidos, China e Japão.

A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) aponta que os produtos mais consumidos no mundo são desodorantes, fragrâncias e protetores solares. Em segundo lugar, produtos para cabelo e banho são os mais consumidos mundialmente.

Além disso, de acordo com a ABIHPEC, nos últimos 12 anos, o número de empregos no setor cresceu 5 vezes mais do que a média da economia brasileira, inclusive na área de pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos.

pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos

2. Analise a perspectiva de consumo

Para atuar na área de pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos, é importante analisar a demanda do mercado, características da população e as possibilidades de crescimento.  

De acordo com a pesquisa da Euromonitor, há uma estimativa de crescimento acumulado no consumo de produtos cosméticos no período 2015-2020. Sendo o perfil brasileiro de consumo dividido em 91% para produtos de massa e 9% produtos premium.

O bom desempenho do atual momento do mercado cosmético e as boas expectativas para continuar crescendo é atribuído pela ABIHPEC pelos seguintes fatores:

  • Aumento da participação da mulher no mercado de trabalho;
  • Utilização de tecnologia de ponta, que proporciona um aumento da produtividade e favorece os preços praticados;
  • Lançamento constante de produtos, incentivado pelas pesquisas e desenvolvimento de produtos cosméticos;
  • Aumento da expectativa de vida da população, que proporciona a necessidade de o consumidor cuidar da saúde e bem-estar.

3. Invista em uma especialização em pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos

Ao especializar-se na realização de pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos o profissional se torna apto e qualificado para atuar na concepção, pesquisa, planejamento, desenvolvimento e produção de cosméticos.

O profissional que possui essa especialização consegue atuar em diferentes frentes de trabalho:

  • Nas indústrias que desenvolvem produtos cosméticos;
  • Em consultorias especializadas;
  • Órgãos públicos de vigilância sanitária;
  • Laboratórios que monitoram e analisam os insumos utilizados ou os produtos finalizados para consumo.

Além disso, diante do comportamento do público que deseja novos produtos constantemente, a indústria cosmética tem se esforçado para garantir a pesquisa e desenvolvimento (P&D) de produtos eficazes e seguros. Para isso, além do conhecimento técnico, também é necessário conhecer a linguagem e ferramentas adequadas para seleção e gerenciamento dos projetos de P&D, conforme a estratégia da organização.

Com essas dicas importantes de contexto de mercado e perspectivas favoráveis de crescimento, você pode avaliar sobre trabalhar na área de pesquisa e desenvolvimento de produtos cosméticos. Conte para nós se esse post lhe inspirou a atuar na área!